Segunda-feira, 30 de Abril de 2007

Mais uma declaração política apresentada na Ass. Municipal

SAUDAÇÃO
 
AOS CENTROS DE NOVAS OPORTUNIDADES
(CNO's)
 
 
 
 
Portugal é ainda o país da União Europeia com mais baixos níveis de escolarização e de qualificação profissional, embora nos últimos 30 anos se tenha verificado um enorme esforço educativo.
A pesada herança decorrente do facto de Portugal ter perdido “o comboio do ensino primário e da literacia em toda a segunda metade do sec XIX e primeira metade do seculo XX” (Carneiro, 2000), fez com que Portugal se afastasse dos restantes países europeus que durante o mesmo período fizeram um grande investimento na escolarização e alfabetização de toda a população.
 
Nos anos 70, Portugal tinha uma taxa de analfabetismo de cerca de 30%, tentando cumprir a escolaridade obrigatória de 6 anos, enquanto muitos dos países do centro da Europa já tinham uma taxa de escolarização de 12 anos próxima dos 90%.
 
A falta de vontade política dos diferentes regimes em acompanhar a tendência europeia levou a que muito tardiamente (só depois do 25 de Abril) se tivesse generalizado a efectiva obrigação escolar. Contudo, as elevadas taxas de insucesso e de abandono escolar, assim como a existência de um modelo de educação de adultos demasiado escolarizado, contribuiu para ainda hoje não se igualasse os níveis dos países europeus. 
 
Cerca de 3 500 000 da população activa tem um nivel de escolaridade inferior ao ensino secundário, dos quais 2 600 000 inferior ao 9º ano. Cerca de 485 000 jovens entre os 18 e os 24 anos (45% do total) estão a trabalhar sem terem concluído os 12 anos de escolaridade, 266 000 dos quais não chegaram a concluir o 9º ano.
 
Estes são os dados relativos aos níveis formais da população comprovados por um certificado e que são idênticos aos de países menos desenvolvidos como seja o México e a Turquia.
Mas no que se refere aos níveis informais ou não formais, os níveis educativos e de qualificação, isto é, as competências reais dos portugueses, são superiores aos seus diplomas formais.
A experiência adquirida ao longo da vida, muitas vezes a trabalhar desde criança, tem sido a escola da vida da maioria da população portuguesa. Mas são estas competências adquiridas pela experiência que tem permitido a Portugal estar entre os países desenvolvidos. A produtividade e o nível cultural dos portugueses é superior aos níveis de qualificação e de educação formal.
 
É no  sentido de valorizar e reconhecer estas competências e certificá-las que, em 2000, o governo de António Guterres criou os Centros de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC) que durante os últimos seis anos permitiu certificar muitos do portugueses, cuja experiência de vida lhes dera as competências correspondentes aos níveis adquiridos com uma escolaridade de 4, de 6 ou de 9 anos.
 
Mas os desafios que se colocam a Portugal para finalmente se colocar a par dos restantes países da União Europeia obriga a um esforço inigualável na história de Portugal em matéria educativa.
O Programa do Governo “Novas Oportunidades” representa um investimento nos portugueses para alcançar o objectivo de elevar os seus níveis educativos e de qualificação.  
Uma das metas definidas é a de qualificar 1 milhão de portugueses, até 2010, através do sistema de reconhecimento, validação e certificação de competências e dos cursos de educação de adultos.
 
Para alcançar essa meta foram criados os Centros de Novas Oportunidades, através da rede pública dos Centros de Formação Profissional do IEFP e das escolas Secundárias do Ministério da Educação e da rede privada de escolas profissionais e empresas,  que a partir dos antigos Centros RVCC oferecem agora novas oportunidades: o reconhecimento das competências ao nível do ensino secundário e o reconhecimento de competências profissionais.
 
A aposta do Governo na qualificação da população portuguesa é a opção central para o crescimento económico e para a promoção da coesão social e territorial, assegurando a competitividade e modernização das empresas, da qualidade e produtividade do trabalho, a par da promoção da empregabilidade, do desenvolvimento pessoal e de uma cidadania plena.
 
Saudamos assim o Governo pelo esforço que esta medida representa, envolvendo toda a sociedade portuguesa e que irá permitir, finalmente, valorizar a população portuguesa, com enfoque na população trabalhadora que não teve oportunidade de estudar na idade em que devia estar na escola como todos os meninos europeus.  
 
É assim que se cumpre Abril.
 
publicado por motssa às 13:55
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 27 de Abril de 2007

Ainda o 25 de Abril

A Ana Margarida Lourenço, dirigente nacional da JS apresentou este Texto, na Assembleia Municipal de Almada, ontem, na Sessão ordinária, realizada no Clube Desportivo do Feijó.

Parabéns, Guida!

Declaração
25 de Abril – 33 anos de Liberdade
 
Ex.mo Sr. Presidente da Assembleia Municipal
Ex.ma Sra Presidente da Câmara Municipal
Ex.mos Srs. Vereadores
Caros Colegas da Assembleia Municipal
 
Torna-se cada vez mais dificil falar do 25 de Abril de 1974 e ter algo de novo para dizer. 
Não poderei, também, falar de recordações desse memorável dia para Portugal, para a nossa história e para os portugueses, porque não os vivi.
Nada disto invalida, no entanto, o facto de hoje, continuar a ser pertinente uma intervenção evocativa sobre liberdade e liberdades, democracia e  princípios fundamentais dos direitos humanos.
Sim porque esse património (herança de Abril) é de todos. Dos que fizeram o 25 de Abril em 74 e dos que hoje, como eu, continuam a fazê-lo.
 
Sei que evocar Abril enche muitos de nós da nostalgia das emoções vividas e sentidas, que nos faz recuar no tempo e lembrarmo-nos de renascer de novo.
O ar tornou-se de facto mais puro, mais respirável. O fim da perseguição política, da censura e do obscurantismo. O viver dos sonhos no dia-a-dia com o PREC, o acreditar que mudar o mundo e a nossa sociedade era possível.
 
33 anos volvidos, a evolução tornou-se notória.
 Provavelmente dos sonhos que todos tinham na altura, ainda estarão alguns por cumprir. Mas os ganhos são inequivocos e inegáveis.
Direitos liberdades e garantias conquistados com a aprovação de uma Constituição em 1976, que é, ainda, hoje, 3 décadas volvidas, das mais avançadas e progressistas do mundo.
 Um Estado Social que é já identidade genética de toda a nossa sociedade.
 Um país mais moderno, aberto ao mundo e à Europa e não fechado sobre si mesmo.
 Devemos e temos de estar orgulhosos de tudo o que nós portuguesas e portugueses alcançámos nestes 30 anos.
 
Devemos e temos de estar orgulhosos de hoje, aqui e agora nesta Assembleia, celebrarmos a vitória da democracia conquistada em Abril, aliás, de o fazermos sempre que esta mesma Assembleia se reúne. 
 
Não podemos é nunca esquecer a tarefa permanente de preservar estas conquistas. Algo que nem sempre o fazemos da melhor maneira e algo que por vezes nos esquecemos de fazer, levando ao renascimento de alguns saudosistas de um regime que apenas estrangulou o nosso desenvolvimento e que apartou aquilo que os portugueses têm de melhor - a sua capacidade de livre iniciativa, de criar e de inovar.
 
Também, aqui, em Almada precisamos de o fazer.
 Preservar Abril e a democracia é termos bem presente que o contacto e a proximidade com todos os cidadãos deve ser permanente. Escutar os seus apelos, ouvir as suas preocupações. Resolver os seus problemas.
 
Preservar Abril e a Democracia em Almada é darmos voz e escutarmos o que a nossa oposição tem para dizer.
É não termos laivos de autismo fruto de um poder, legitímo e democrático é certo, de apenas um partido à frente dos destinos da autarquia há demasiados anos.
É respeitarmos os que divergem de nós e fazer valer as nossas ideias e os nossos projectos, não só porque somos mais, mas, também, porque devem ser os melhores e os que atendem às necessidades de todos.
 
Preservarmos Abril e a Democracia é não facilitarmos o amiguismo e cedermos à tentação fácil do clientelismo.
 
Temos, pois, de todos os dias construir de novo Abril. Temos de ousar e inovar de maneira a não deixarmos a beleza dos cravos e da liberdade perderem-se nos manuais de história .
 
Aqui hoje e agora é dia de (re)nascimento é por isso que como em 25 de Abril de 1974 eu “Estou aqui construindo um novo dia. Porque o dia constroí-se, não se espera.” nas palavras de António Gedeão.

publicado por motssa às 16:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 19 de Abril de 2007

VAMOS FESTEJAR ABRIL

No próximo dia 25 de Abril, o Partido Socialista de Almada orgulha-se de organizar mais uma vez, um jantar para comemorar Abril.

Com efeito, este dia não pode ser esquecido, pois trata-se de uma data muito importante para a nossa democracia.

 

Não falte, contamos Consigo. Todos somos poucos.

 

Saudações Socialistas.    Viva Abril  !

 

Junto se anexa mapa de localização do restaurante “ Broa de Mel “ – Alameda Guerra Junqueiro.

Para mais informações pode contactar 96 28 22 595, cpcalmadaps@portugalmail.pt, ou consultar o blog do PS de Almada psalmada.blogs.sapo.pt

Os bilhetes podem ser adquiridos nas secções de residência, ou contactado 962822595 ou ainda cpcalmadaps@portugalmail.pt,

publicado por motssa às 12:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 18 de Abril de 2007

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CONFERENCIA DE IMPRENSA
 
MAIS PARQUEAMENTO,
MELHOR PARQUEAMENTO!
 
 
1.      Fevereiro, Março e Abril têm sido meses de obras do Metro na Av 25 de Abril até à Praça Gil Vicente.
Têm sido meses de confusão, de dificuldades acrescidas, de desrespeito dos moradores e dos comerciantes.
Agora, as obras do Metro Sul do Tejo vão iniciar-se na Av. Afonso Henriques.
 
2.    No mandato camarário anterior os Socialistas votaram favoravelmente a aquisição de terrenos para a construção de parques de estacionamento.
Como o executivo camarário é muito “poupado”, comprou os terrenos, mas não construiu os parques de estacionamento, esperando que outros o viessem a fazer.
O resultado foi que agora sobram as viaturas por aparcar e faltam lugares para estacionar!
 
3.    De acordo com o estudo feito pela consultora “Transitec” para a Câmara Municipal, os números são os seguintes:
Zona de 25 de Abril / Gil Vicente
Lugares de estacionamento legal (sem contar com o estacionamento em fila dupla ou em cima do passeio) hoje, antes dos 9 meses das obras: 1.468.
No período das obras serão perdidos 346 lugares.
Depois das obras com o reordenamento já pensado pela Câmara mantêm-se perdidos os 346 lugares. Passa a haver 1.122 lugares de estacionamento definitivos.
Em conclusão:
A Câmara não acautela 346 lugares.
 
 Zona de Gil Vicente / S. João Baptista
Lugares de estacionamento legal antes dos 9 meses de obras: 1.736 lugares.
No período das obras serão perdidos 221 lugares.
Depois das obras com o reordenamento já pensado pela Câmara a perda aumenta. Passa a haver 1.479 lugares de estacionamento definitivos.
Em conclusão:
A Câmara não acautela 257 lugares.
Zona de S. João Baptista / Rotunda dos Bancos
Lugares de estacionamento legal antes das obras: 1.946 lugares
Com as obras serão suprimidos 326 lugares.
Depois das obras com o reordenamento já pensado pela Câmara a perda mantém-se. Passa a haver 1.620 lugares de estacionamento definitivo.
Em conclusão:
A Câmara não acautela 326 lugares.
Rotunda dos Bancos / Centro Sul
Lugares de estacionamento legal antes das obras: 379 lugares.
Com as obras são suprimidos 121 lugares.
Depois das obras com o reordenamento já pensado pela Câmara a perda mantém-se. Passa a haver 260 lugares de estacionamento definitivo.
Em conclusão:
A Câmara não acautela 110 lugares.
Resumindo e concluindo:
Antes das obras, havia 5.529 lugares de estacionamento legal.
Com as obras serão suprimidos 1.014 lugares.
Depois das obras e entrando em linha de conta com o reordenamento são garantidos 4.481.
Em conclusão:
A Câmara não acautela 1.048 lugares de estacionamento legal.
Se quisermos determinar a procura de estacionamento que não será satisfeita, podemos multiplicar 1048 lugares pelo factor 1,5 e encontraremos 1572 viaturas (valor que corresponde à procura formal e informal).
Com as obras já terminadas, não haverá lugar, pelo menos, para 1048 viaturas.
 
4.    Qual a solução para colmatar este défice?
A solução passa por construir parques de estacionamento!
O que o Executivo Camarário levou á Assembleia Municipal foi uma proposta titulada “Ordenamento do Estacionamento das Zonas de Obra MST/Cacilhas e Almada Centro”.
Esta proposta nada dizia sobre a construção dos futuros parques de estacionamento.
Era uma proposta incompleta e omissa. Por isso não teve o apoio dos Socialistas.
 
5.    Gerir Almada é gerir com os Almadenses e não contra eles!
A não construção de parques de estacionamento pelo Executivo Camarário presta um mau serviço à Cidade e aos Almadenses.
Não acautela a qualidade de vida.
Os Almadenses têm direito a melhor qualidade de vida!
Têm direito a serem bem servidos!
 
 
6.    Por isso, os Socialistas vão lançar uma campanha de recolha de assinaturas em Cacilhas, visando fazer respeitar os direitos dos moradores e dos comerciantes!
 
Estas acções de rua decorrerão nos Sábados 28 de Abril e 5 de Maio durante a manhã.
 
Vamos recolher assinaturas exigindo ao Executivo Camarário, MAIS PARQUEAMENTO, MELHOR PARQUEAMENTO!
 
 
Almada, 17 de Abril de 2007
 
O Secretariado da Comissão Politica Concelhia do Partido Socialista de Almada
publicado por motssa às 15:50
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 14 de Abril de 2007

Obrigado!

Obrigado ao Tito Banza, coordenador da Secção do Laranjeiro, pela bonita fotografia que fez e que permitiu  que o nosso BLOG ficasse mais interessante e mais almadense.

Trata-se da fotografia que encima o espaço do BLOG.

Se todos os militantes tivessem vontade, poderíamos ter um espaço mais rico... Esta colaboração é a prova do que digo.

Mais uma vez, obrigado, Tito!

publicado por motssa às 17:38
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 10 de Abril de 2007

Assunto para discussão

Este BLOG foi criado e é mantido por um militante  que considerou ser fundamental a existência de um espaço de debate e de divulgação das posições que os autarcas do Partido Socialista vão assumindo nos diversos órgãos autárquicos em Almada.

 Claro que no debate poderão colaborar todos os que visitam o BLOG, mesmo que não sejam do PS.

A participação da sociedade civil é muito importante para podermos saber as opiniões que a população que visita os blogs tem do nosso desempenho como autarcas.

 O convite à participação que foi endereçado a todos os autarcas através de um mail da concelhia e do primeiro POST deste BLOG, pressupunha que os autarcas do PS se sentissem honrados em divulgar no BLOG as suas comunicações nas Assembleias de Freguesia, na Assembleia Municipal e na Câmara Municipal.

Este objectivo tem sido muito escassamente cumprido pois só estão publicadas as comunicações de três elementos da Assembleia Municipal e os documentos que a Concelhia vai enviando aos militantes.

Ora já que este objectivo está tão escassamente cumprido e o outro, o da participação dos visitantes começa agora a ter alguma adesão, não cerceemos esta participação ainda tão tímida...

Deixemos que todos possam dar a sua opinião, mesmo quando desafiam alguns elementos com responsabilidades na Autarquia.

O que é lamentável é que esses mesmos elementos não venham a este espaço dar o seu contributo e assim possam mostrar a quem nos lê, que o PS está activo no concelho e não escondido atrás de mandatos que conseguiu com legitimidade, mas que mais parece na clandestinidade.

Sejamos frontais e mostremos as nossas opiniões... Só pela discussão poderemos ganhar adesões às nossas posições.

E quanto às opiniões, é bom que elas sejam colocadas no BLOG e não escondidas dos olhares de todos...

Sejamos frontais!

publicado por motssa às 10:02
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 4 de Abril de 2007

FORMAÇÃO AUTÁRQUICA

 

 

A segunda acção de formação autárquica iniciou-se no passado dia 24 de Março do corrente ano.
 
Esta acção de formação destina-se a todos os militantes que demonstrem interesse em frequentá-la, visando acrescentar conhecimentos, capacitando-os para as actividades políticas locais.
A “Agenda Local 21” tem a duração de 25 horas e decorre no auditório da Junta de freguesia da Trafaria, aos sábados das 09.30 às 13.00horas.
 
Aos camaradas que frequentarem esta acção de formação ser-lhes-á atribuído um certificado no final do curso.
A frequência do curso é gratuita.
 
 
 
Os camaradas presidentes e vogais das juntas de freguesia da Trafaria e da Charneca de Caparica estão a frequentar este módulo formativo.
Uma delegação de camaradas do Seixal também beneficia desta acção formativa.
 
Caso algum camarada deseje inscrever-se nesta acção de formação poderá ainda fazê-lo até ao dia 13 de Abril. Para isso deve contactar a CPC – Comissão Politica Concelhia TM. 962 822 595.
publicado por motssa às 11:09
link do post | comentar | favorito
|

Pesquisar no blog

 

Outubro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

ADEUS!

DEBATE DE 06.10.2009

NOVO DEBATE

CAMPANHA AUTÁRQUICA

Programa Eleitoral

...

...

COMO FOI O DEBATE?

DEBATE ENTRE TODOS OS CAN...

DEBATE ENTRE TODOS OS CAN...

Arquivo

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Links

Contador

Visitantes